O Que Significam e o Que Fazer a Seguir

Você está visualizando atualmente O Que Significam e o Que Fazer a Seguir

Teste de Solo do Jardim: Como Ler e Usar os Resultados

Fazer um teste de solo do jardim é uma das melhores maneiras de otimizar a aplicação de fertilizantes e garantir que suas plantas estejam recebendo nutrição ideal. Se suas plantas estão mostrando sinais de deficiências, como folhas amareladas ou crescimento lento, seu teste de solo pode destacar o que está faltando. No entanto, a linguagem científica complexa dos resultados do teste pode ser confusa para a maioria dos jardineiros. O que significam todos aqueles números, porcentagens e abreviações? Como você pode usar os resultados do teste para corrigir adequadamente seu solo? Temos as respostas.

Os testes de solo modernos usam uma combinação de testes de laboratório para encontrar o pH, a matéria orgânica e os níveis de nutrientes vegetais de muitos minerais diferentes em seus canteiros de jardim. Vamos nos aprofundar nos detalhes de cada tipo de teste, como os nutrientes afetam suas colheitas e o que você pode fazer para corrigir o solo desequilibrado.

Como Ler Meus Resultados de Testes?

Entender os testes de solo simplifica os ajustes de nutrientes para um crescimento ideal.

Ler os resultados do teste de solo não precisa ser complicado; você só precisa entender o que precisa ser aumentado ou diminuído. A maioria das análises inclui uma faixa de “muito baixo” a “médio ou ideal” a “alto”, que estima quanto de cada nutriente está disponível na terra.

Depois de coletar amostras do jardim e enviá-las para um laboratório, você deve receber um relatório de teste que inclui informações como o nível de pH, porcentagem de matéria orgânica, CEC (capacidade de troca de cátions) e uma variedade de nutrientes vegetais essenciais, como fósforo, potássio, cálcio, magnésio e micronutrientes.

Os níveis relatados em cada parâmetro fornecem insights sobre a fertilidade subterrânea e recomendações para emendas para melhorar deficiências ou excessos. Este guia inclui mais detalhes sobre cada parâmetro em linguagem fácil de entender.

Como Usar Seus Resultados de Testes no Jardim

A maneira mais rápida e fácil de usar os resultados do seu teste de solo é primeiro focar nos níveis baixos de nutrientes ou deficiências. Qualquer coisa que apareça como deficiente deve ser seu foco principal para aprendizado e emenda. Observe se um resultado de teste específico se correlaciona com os sintomas das plantas que você notou no jardim.

Use Amendos Multiuso

Emende estrategicamente para benefícios de curto e longo prazo.

Considere as emendas disponíveis para remédios de curto e longo prazo. A análise do Epic Soil Test inclui instruções anuais na parte inferior dos resultados. Isso terá recomendações específicas de fertilizantes para diferentes épocas do ano, e algumas emendas podem corrigir vários problemas de uma vez.

Por exemplo, se seu solo carece de cálcio e magnésio e é muito ácido, você pode adicionar cal dolomítica para resolver os três problemas. Da mesma forma, se seu teste revelar deficiências em micronutrientes como manganês e zinco, uma emenda de micronutrientes tudo-em-um como azomite pode ser sua solução mais fácil.

Seja Paciente

Permita uma estação para que as emendas de solo tenham efeito.

Depois de aplicar os fertilizantes adequados, micronutrientes e emendas, espere pelo menos uma estação antes de fazer outro teste. As mudanças no solo nem sempre são instantâneas, e pode levar tempo para que os nutrientes fiquem disponíveis para suas plantas.

Nutrientes Excessivos

Dilua o solo e reduza a adubação para lidar com a toxicidade de nutrientes.

Se seus resultados de teste revelarem um problema de toxicidade ou overdose de nutrientes, você pode precisar diluir o solo do canteiro do jardim com terra nativa ou composto. Além disso, você pode precisar reduzir a adubação e evitar fertilizantes sintéticos de liberação rápida. A rega também pode ser necessária para lixiviar os nutrientes em excesso. Consulte as seções de nutrientes específicos abaixo para orientação.

O Que Um Teste de Solo Te Conta? Explicação dos Resultados do Test

Os testes de solo informam o pH (acidez), porcentagem de matéria orgânica, capacidade de troca de cátions e níveis de nutrientes de seus canteiros de jardim. Como o solo é a base do seu jardim, os testes são uma das informações mais confiáveis sobre sua saúde. Os resultados podem ser usados em conjunto com observações visuais para descobrir o que está acontecendo abaixo do solo.

Por exemplo, se seus mirtilos estão crescendo muito lentamente e têm folhas descoloridas, o alto nível de pH em seu teste pode explicar o porquê. Da mesma forma, se seus tomates têm pontos marrons nas folhas inferiores e você descartou problemas de doenças, uma deficiência de fósforo pode aparecer em seu teste, indicando que você precisa adicionar farinha de ossos ou esterco compostado.

Aqui está cada parâmetro do teste de solo explicado em linguagem simples, incluindo sua importância no crescimento das plantas e como remediar níveis inadequados.

Nível de pH

Diferentes culturas prosperam em faixas de pH específicas.

O pH ideal para o solo do jardim depende das culturas que você está cultivando. A maioria dos vegetais prefere um pH próximo ao neutro (6,5 a 7,5), mas plantas amantes de solo ácido como mirtilos e azaléias preferem um pH ácido (4,5 a 6,0). Algumas plantas como alho, aspargos, feijão, brássicas e alfafa toleram solo ligeiramente alcalino (7,0 a 8,0), mas a maioria das plantas tem dificuldade em crescer com um pH muito alto.

Este guia rápido facilita a compreensão desses números:

Alto pH = acima de 7,0 = alcalino = adicione enxofre se precisar diminuir o pH

Neutro = 7,0

Baixo pH = abaixo de 7,0 = ácido = adicione cal agrícola se precisar aumentar o pH

O pH do solo pode ser confuso porque requer uma compreensão de química e biologia. O pH significa o potencial de hidrogênio e mede a acidez ou alcalinidade do solo. O nível de pH afeta todos os nutrientes e minerais das plantas porque alguns nutrientes não estão disponíveis em valores de pH ultra altos ou baixos. Para complicar ainda mais, os microrganismos afetam como os nutrientes se decompõem e se tornam disponíveis para as plantas.

Em termos simples, tudo o que você realmente precisa saber é a faixa de pH para suas culturas específicas. Aqui está um ponto de referência rápido:

Vegetais: faixa de pH entre 6,0 e 7,0 é a melhor para a maioria das espécies.

Mirtilos: 4,5 a 5,5

Azaléias, Camélias, Rododendros: 4,5 a 6,0

Árvores Coníferas (Pinheiro, Abeto, Pinheiro): 5,0 a 6,0

Árvores de Folhas Largas: 6,5 a 7,0

Em solos muito ácidos ou muito alcalinos, você notará amarelamento, escurecimento, retardamento e outros problemas visíveis das plantas. Os problemas com desequilíbrios de pH estão principalmente relacionados à disponibilidade de nutrientes. As plantas não podem usar corretamente certos nutrientes quando o pH está desequilibrado, o que significa que se tornam deficientes.

Por exemplo, uma planta de brócolis crescendo em solo muito ácido pode parecer amarela e atrofiada. Isso ocorre porque o nitrogênio fica “preso” em condições ácidas, e a planta de brócolis não pode usar os nutrientes. Adicionar cal agrícola (calcário) e cascas de ovos pode ajudar a aumentar o pH para que as plantas de brócolis possam absorver os nutrientes de que precisam.

Dica Profissional: Se você está cultivando uma ampla diversidade de plantas, envie amostras de solo separadas para canteiros diferentes. Por exemplo, seus canteiros de mirtilo e rododendro devem ser testados separadamente dos canteiros de vegetais e flores.

Porcentagem de Matéria Orgânica (MO)

A matéria orgânica enriquece o solo, impulsionando a saúde e o crescimento das plantas.

O que é Matéria Orgânica?

A matéria orgânica é o segredo para um jardim próspero. Às vezes chamada de “húmus”, esse material natural rico em carbono é o que torna o solo saudável tão agradável de trabalhar. Os materiais orgânicos incluem tudo o que um dia foi vivo. Podemos enriquecer o solo devolvendo resíduos de plantas e animais mortos de volta à fonte.

Sem matéria orgânica, não poderíamos ter a maioria dos ecossistemas na Terra. Florestas selvagens e pastagens naturalmente desenvolvem um horizonte superior espesso que está carregado de matéria orgânica. Por exemplo, você pode notar a densa camada de agulhas de pinheiro caídas, pinhas, madeira e folhas de plantas em decomposição na superfície de uma floresta. É onde a maior parte da atividade microbiana e ciclagem de nutrientes acontece, e nosso objetivo é imitar esses processos naturais em nossos jardins.

Interpretação das Porcentagens de Matéria Orgânica

A porcentagem de matéria orgânica (MO) listada em seu teste pode ser usada como um indicador para determinar o quão “rica” e biologicamente ativa é o seu solo. Uma porcentagem alta é um bom sinal de que você está fazendo algo certo, especialmente se estiver cultivando vegetais, flores e plantas que gostam de solo argiloso! Uma porcentagem mais baixa significa que seu jardim pode se beneficiar com adições de composto ou cobertura morta. Problemas com compactação, camadas duras, drenagem deficiente e textura ruim geralmente podem ser melhorados aumentando a matéria orgânica.

A matéria orgânica beneficia as plantas ao:

Impulsionar a atividade microbiana e apoiar o microbioma do solo

Melhorar a drenagem da água através do perfil do solo

Garantir a infiltração de água (para reduzir poças na superfície)

Impulsionar a fertilidade geral

Adicionar nutrientes e minerais vitais disponíveis para as plantas

Aumentar a capacidade de troca de cátions (CEC) para reduzir a lixiviação de nutrientes

Reduzir o encharcamento (menos risco de podridão das raízes)

Melhorar a aeração e oxigenação na zona das raízes

Melhorar a capacidade de retenção de água (o solo seca mais lentamente)

Melhorar a estrutura geral do solo

Reduzir a erosão

Basicamente, adicionar matéria orgânica pode resolver muitos problemas. É por isso que o composto é o emenda de jardim mais popular! Uma vez tive um professor de ciência do solo que dava palestras inteiras sobre as complexidades da bioquímica do solo e os problemas que os agricultores enfrentam, apenas para fazer a pergunta final, “Qual é a resposta?” Em seguida, ele proclamava orgulhosamente, “A resposta é sempre adicionar matéria orgânica!”

Esse material rico em carbono é realmente tão poderoso! Não resolverá todos os problemas em seu jardim, mas melhorará tremendamente a saúde geral das plantas e a produtividade das culturas. A matéria orgânica pode ser perdida através de aração, aração e perturbação do solo, então precisa ser reposta regularmente. Use a porcentagem em seus resultados anuais para acompanhar como a saúde do seu jardim melhora ao longo do ano.

Capacidade de Troca de Cátions (CTC)

Uma CTC alta ajuda o solo a reter nutrientes, beneficiando o crescimento das plantas.

A capacidade de troca de cátions (CTC) é uma medida científica sofisticada com implicações simples para o seu jardim. Basicamente, se sua CTC for alta (11-20+), seu solo pode reter mais nutrientes e reter mais água. Isso é ótimo para as plantas! Se sua CTC for baixa (abaixo de 10), o solo terá dificuldade em reter nutrientes e pode ser propenso à lixiviação. Isso significa que seus fertilizantes são desperdiçados e suas plantas podem ter deficiências.

A CTC mede quão bem seu solo “segura” minerais carregados positivamente como magnésio, cálcio e potássio. Esses nutrientes são cátions, que são minerais carregados positivamente. Solos arenosos e pobres e degradados tendem a ter CTC mais baixa. Os nutrientes lixiviam rapidamente por eles, e o solo não tem capacidade de reter os nutrientes tempo suficiente para as plantas absorvê-los.

Sem mergulhar na bioquímica complexa, tudo o que você precisa saber é que uma CTC mais alta (acima de 11) é melhor para as plantas porque os nutrientes permanecem no solo em vez de lixiviar. Adicione matéria orgânica para aumentar a capacidade de troca de cátions.

Fósforo (P)

Este nutriente é essencial para a fotossíntese e o crescimento geral das plantas.

O que é? O fósforo é um mineral macronutriente vegetal mineralizado por organismos do solo através de processos de decomposição.

Importância: O fósforo é essencial para o desenvolvimento das raízes das plantas, floração e produção de frutos.

Excesso: O excesso de fósforo (mais de 400 ppm), especialmente em solos de pH alto, dificulta a absorção de zinco e ferro pelas plantas.

Ideal: A faixa ideal é de 42-68 ppm, mas solos de jardim ricos em composto tendem a ser mais altos.

Deficiência: Deficiências de fósforo reduzem o crescimento dos brotos e podem levar a folhas roxas ou aver