5 Dicas para Cultivar Tomates Realmente Grandes

Você está visualizando atualmente 5 Dicas para Cultivar Tomates Realmente Grandes

5 Dicas de Cultivo de Tomate para Frutas Gigantes

Os tomates são um item básico no jardim, mas nem sempre crescem tão perfeitamente como gostaríamos. Os maiores e mais suculentos tomates não são apenas uma questão de variedade, embora isso certamente desempenhe um papel. A luz solar, a umidade, a fertilidade e a poda são o que, no final das contas, fazem com que as melhores sementes de tomate ‘Beefsteak’ alcancem sua maior glória.

Se você deseja cultivar tomates gigantes nesta temporada, use estas 5 dicas testadas pelo tempo para nutrir videiras vigorosas e frutas enormes.

Escolha as Variedades Certas

Os tomates gigantes começam com genética gigante. Felizmente, isso não tem nada a ver com modificação genética (OGMs). Em vez disso, tudo se resume à seleção. A criação tradicional de plantas tem sido usada por milhares de anos para desenvolver variedades únicas de tomate cruzando o pólen de uma planta com os óvulos de outra.

Cada variedade de tomate foi criada para um papel específico, assim como certas raças de cães são criadas para caçar ou pastorear. Os tomates cereja são criados para petiscos doces e frescos, e os tomates para molho são selecionados por baixo teor de umidade, ideal para enlatar. As variedades de fatiamento de frutos grandes são criadas para tomates gigantes com ombros largos, textura carnuda e alto rendimento. A maioria desses tipos se enquadra nas categorias de “beefsteaks” ou “heirlooms”.

Os ‘Beefsteaks’ começaram como um único cultivar, mas se expandiram para centenas de diferentes variedades com qualidades semelhantes. Eles são chamados de beefsteaks porque são carnudos, pesando até dois ou três quilos cada. A textura do tomate é descrita como “carnuda”, mas não deixe que isso assuste os vegetarianos. Essas frutas suculentas são na verdade apenas densas, tornando-as perfeitas para sanduíches, saladas e hambúrgueres.

Os tomates heirloom são variedades que foram passadas de geração em geração. Eles são de polinização aberta (não híbridos), o que significa que você pode salvar suas sementes e cultivar as mesmas plantas no próximo ano. O ‘Beefsteak’ original era um heirloom, e essa categorização é comumente associada a essas grandes, vermelhas, fragrantes frutas com sabor clássico e nostálgico de tomate.

Tecnicamente, qualquer variedade de tomate pode ser um heirloom (incluindo cerejas e tomates para molho), mas o termo heirloom é frequentemente usado para descrever tomates grandes de fatiar com ombros largos, textura nervurada e interiores coloridos.

Nossas cultivares favoritas para produzir tomates gigantes incluem:

– ‘Beefsteak’ Pole Tomatoes: A videira icônica de herança que produz frutas de um a dois quilos com sabor rico e antigo.
– ‘Cherokee Purple:’ Clássicos heirlooms de 10-12 onças em videiras vigorosas com sabor equilibrado.
– ‘Cherokee Carbon:’ Grandes beefsteaks roxos com menos rachaduras e rendimentos precoces.
– ‘Pineapple Pole:’ Grande tipo beefsteak com poucas sementes e sabor complexo de frutas com baixa acidez.

Mas escolher a variedade certa de frutos grandes é apenas o começo. Você precisa nutrir a planta e fornecer tudo o que ela precisa para cultivar essas frutas gigantes. Muitas pessoas cometem o erro de esperar que tomates grandes cresçam em plantas sedentas, sombreadas e famintas.

Forneça Umidade Consistente (Regue Profundamente!)

Para prosperar, os tomates anseiam por regas consistentes e profundas para um crescimento robusto.

Em média, você deve dar às suas plantas de tomate cerca de uma polegada de água por semana. Dependendo das condições do solo, umidade, temperatura e chuva, isso pode significar irrigar uma a três vezes por semana. Plantas jovens precisam de regas regulares nas primeiras semanas após o transplante. Plantas maduras precisam de água extra em tempo quente, seco e ensolarado, especialmente durante a frutificação. Plantas em recipientes precisam de irrigação mais frequente porque secam mais rapidamente.

Não deve ser surpresa que os tomates sejam plantas sedentas. A folhagem verdejante, as videiras vigorosas e as frutas suculentas abundantes exigem muita água. Muitos jardineiros ficam desapontados com frutas pequenas quando não regam profundamente seus tomates. A irrigação superficial apenas satura as poucas polegadas superiores do solo. Se a água não atingir mais profundamente na zona radicular, os tomates não desenvolvem um sistema radicular forte e ficam mais propensos ao estresse por seca mais tarde na temporada.

Prevenindo o Estresse Hídrico

Muito cuidado resulta em muita frutificação.

O estresse não é bom para ninguém, especialmente quando você está tentando criar algo massivo. Imagine suas plantas de tomate como mulheres grávidas: elas precisam de muita água e nutrientes para produzir bebês enormes! Sem água suficiente, os tomates concentram sua energia principalmente na sobrevivência. A reprodução (produção de frutas) fica em segundo plano porque a planta está apenas tendo suas necessidades atendidas.

Embora os tomates de raízes profundas possam ser muito tolerantes à seca quando maduros, eles ainda precisam de muita umidade no início. Os tomates cultivados sem irrigação são cultivados sem irrigação para um sabor aprimorado. No entanto, essa metodologia requer solo extra rico e preparação adequada. A maioria dos jardineiros cultiva tomates em canteiros elevados que precisam de uma generosa rega pelo menos uma ou duas vezes por semana no verão.

A cobertura morta é outro segredo chave para tomates felizes. O solo nu seca muito mais rapidamente sob o sol. Uma camada de palha seca ou folhas trituradas pode fazer uma grande diferença na conservação da umidade. A cobertura morta mantém o solo úmido, fresco e protegido dos raios UV. Além disso, a cobertura morta suprime o crescimento de ervas daninhas e enriquece o solo ao longo do tempo.

Coloque uma camada de dois a três polegadas de espessura de cobertura morta sobre os canteiros de tomate após o plantio. Deixe um anel de um a dois polegadas de espaço ao redor da base de suas plantas para que a cobertura morta não sufocar os caules. Também é útil remover frutas ou folhas caídas para evitar a propagação de doenças.

Mantendo a Umidade Consistente

A umidade consistente garante tomates carnudos e sem rachaduras na colheita.

A consistência é fundamental ao regar. Você não quer grandes flutuações entre solo completamente seco e encharcado. Em vez disso, procure que o solo pareça uma esponja torcida na maior parte do tempo. Se você cavar a mão de 15 a 30 centímetros de profundidade no canteiro, deve sentir uma textura de solo úmido e arenoso. O solo seco e quebradiço pode reduzir enormemente o tamanho e a qualidade dos seus tomates.

A umidade inconsistente também leva ao apodrecimento da extremidade da flor e rachaduras nos tomates. Quem se importa se você cultivar um tomate enorme se ele tiver um “bumbum” podre e rachaduras feias? Os tomates grandes são mais propensos a rachaduras, então muitos jardineiros aconselham regá-los menos. Este rumor só é verdadeiro no final da janela de frutificação, pouco antes da colheita.

Você precisa manter a umidade consistente ao longo do ciclo de crescimento da planta e, em seguida, pode reduzir a água por um ou dois dias antes de colher um fruto maduro na videira. No entanto, se você estiver regando profundamente em solo bem drenado, as rachaduras geralmente não são um problema porque a água flui livremente pelo perfil do solo. As raízes nunca devem ficar em solo encharcado.

Melhor Tipo de Solo e Irrigação para Tomates

Nutra seus tomates com solo bem drenado e irrigação inteligente.

Os tomates prosperam em solo franco e rico em composto. Eles podem crescer em solos pobres, mas podem não produzir os grandes e saborosos frutos que você deseja. Canteiros elevados e grandes sacos de cultivo são ideais para cultivar essas plantas de raízes profundas.

A drenagem é muito importante porque as raízes precisam respirar e beber ao mesmo tempo. Ao irrigar, a água nunca deve formar poças na superfície. Deve infiltrar-se rapidamente no perfil, deixando uma superfície de solo agradavelmente úmida.

A irrigação por aspersão com sprinklers não é recomendada porque a umidade nas folhas as torna mais propensas a doenças foliares. Além disso, muita água é desperdiçada porque nunca chega à superfície do solo, o que pode levar a mais problemas com estresse hídrico.

A irrigação com linhas gotejadoras ou mangueiras porosas é ideal. Um olla (irrigação com vaso de argila) também é altamente benéfico para os jardineiros que tendem a regar demais. O olla funciona gradualmente absorvendo umidade no solo circundante apenas quando a planta precisa. Se o solo estiver muito úmido, o olla não liberará mais umidade até que ele seque novamente.

Plante em Pleno Sol

Maximize sua colheita de tomates com exposição total e ininterrupta à luz solar.

Tomates cultivados na sombra raramente (quase nunca) produzirão grandes tomates. Isso ocorre porque os tomates evoluíram para crescer em áreas abertas, brilhantes e ensolaradas. Os ancestrais selvagens de tomate dessas plantas surgiram na América do Sul como uma erva daninha de crescimento baixo que prosperava em clima quente e ensolarado. Os tomates exigem pelo menos seis a oito horas de luz solar direta todos os dias para produzir frutas grandes.

Como geralmente são as estrelas do jardim de verão, eu sempre mantenho as plantas de tomate em meus melhores canteiros elevados voltados para o sul. Você quer ter certeza de que não há estruturas, cercas, arbustos ou árvores que projetem sombras sobre as plantas. Isso é mais fácil de realizar com videiras porque você pode treliçá-las para cima. As variedades arbustivas (determinadas) de crescimento mais baixo precisam ser colocadas no lado mais ao sul para garantir que não fiquem sombreadas.

Se você estiver cultivando milho, pepinos treliçados ou outras culturas altas nas proximidades, plante-os ao norte de seus tomates para que não projetem sombras à tarde. Mesmo nos climas mais quentes, a maioria dos tomates prefere pleno sol para garantir rendimentos prolíficos.

Sinais de Luz Insuficiente

Folhas pálidas sinalizam clorofila insuficiente.

Se uma planta está recebendo muita sombra, sua folhagem pode parecer verde pálida ou amarela. O crescimento será lento e atrofiado porque não há luz solar suficiente para alimentar a fotossíntese eficiente. A fotossíntese é o processo que as plantas usam para converter luz solar, água e dióxido de carbono em açúcares. Esses açúcares são usados para crescer nossas frutas de tomate grandes favoritas.

A fotossíntese ocorre nos cloroplastos, que são células especiais nas folhas que absorvem luz. Os cloroplastos têm um pigmento verde chamado clorofila que dá às plantas de tomate sua cor verde. Se as plantas estiverem com falta de cor verde, é um sinal de que não há clorofila suficiente. Isso geralmente ocorre devido à falta de luz solar.

A estrutura dessas plantas também explica por que elas precisam de muita luz solar. Observe como plantas perenes de sombra como hostas ou heucheras têm folhas grandes e largas. As plantas de sombra são adaptadas para receber raios de luz através de uma copa de árvores. Em contraste, as folhas de tomate são longas e pinadas. Sua superfície foliar evoluiu para absorver raios em condições brilhantes e sem sombra.

A luz insuficiente também é muito evidente quando os tomates começam a florescer. Plantas sombreadas podem não crescer flores amarelas distintas. Sem flores significa sem frutas. Depois de descartar problemas com polinização, água ou fertilidade, a sombra provavelmente é a razão para plantas de tomate sem flores. Você pode transplantar para um local mais iluminado, como um canteiro elevado voltado para o sul ou um grande saco de cultivo portátil.

Se a planta estava crescendo em uma sombra intensa, dê um tempo para se ajustar gradualmente às condições mais ensolaradas para que não seja queimada pelo choque solar.

Use Fertilizante Balanceado (Menos Nitrogênio!)

Equilibre o nitrogênio para um crescimento robusto de tomate sem sacrificar o tamanho da fruta.

Pode parecer contraproducente reduzir o nitrogênio ao cultivar uma cultura de grande consumo como tomates. No entanto, o fertilizante rico em nitrogênio muitas vezes pode ser a principal causa de frutas pequenas. Quantidades excessivas de nitrogênio promovem um crescimento excessivo da folhagem, desviando energia da produção de flores e frutas. O nitrogênio é um nutriente vital para o crescimento das plantas, mas pode haver um excesso de algo bom.

Despejar os nitratos leva a plantas excessivamente frondosas, com uma tonalidade verde profunda. Tomates super fertilizados muitas vezes carecem de flores e frutas. É muito mais importante fornecer fertilidade equilibrada. Um fertilizante equilibrado tem proporções de nutrientes próximas. Por exemplo, no fertilizante Espoma Tomato Tone, a proporção NPK é 3-4-6. Isso significa que é apenas 3% de nitrogênio e mais alto em fósforo e potássio.

Esses nutrientes vêm de fontes orgânicas como farinha de penas, esterco de aves, areia verde e potassa. Isso é ideal para tomates porque o fertilizante se libertará lentamente no solo ao longo da temporada. Você pode aplicar uma vez no plantio e opcionalmente adicionar mais quando as plantas começarem a frutificar. Os tomates usam mais nitrogênio em suas fases iniciais de crescimento foliar e mais potássio e fósforo durante a fase de frutificação.

Em geral, o nitrogênio é mais necessário para o crescimento foliar e radicular. O fósforo estimula a produção de flores e frutas. O potássio regula a fotossíntese e ajuda as frutas a amadurecerem adequadamente. As plantas precisam de mais potássio do que de outros nutrientes para crescer tomates grandes e suculentos. Felizmente, o potássio é abundante em areia verde, cinzas de madeira e farinha de algas. O composto geralmente fornece fósforo suficiente, e o esterco compostado pode fornecer bastante nitrogênio.

Liberação Lenta vs. Fertilizantes Sintéticos